Atendimento:  (21) 2236-4422   /   (21) 2547-3079

IMPLANTES

Home   /   Perguntas Frequentes   /  Implantes

São uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade pela comunidade científica internacional.

São, normalmente, parafusos de titânio introduzidos cirurgicamente nas áreas desdentadas e, sobre eles, são instalados dentes artificiais (prótese dentária).

O implante é um sistema instalado no osso alveolar remanescente, com o objetivo de reproduzir a função de uma ou mais raízes dentárias que foram perdidas.

O implante em si não é um dente artificial completo, mas sim, uma espécie de “ raiz” artificial e sobre ele, será construída uma prótese dentária (coroa) ou se for o caso de uma ponte-fixa, terá como alicerces um ou mais implantes (parafusos ou cilindros).

O protocolo de um sistema de implante envolve, portanto, duas etapas distintas: A etapa cirúrgica, quando são instalados os parafusos ou cilindros (implantes) e a segunda fase protética, quando da elaboração da prótese sobre o implante ou implantes.

 
Nada. É um material usado em Ortopedia há muitas décadas. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômenos de rejeição imunológica.

Os parafusos ou cilindros não produzem rejeição ou reação indesejável, ou seja, são biocompatíveis, podendo permanecer dentro do corpo humano e oferecem altíssima resistência.

Se instalados no organismo, haverá a ósteo-integração, ou seja, estaremos promovendo uma conexão rígida entre o tecido ósseo íntegro vivo e a superfície de um implante, evidentemente, após uma série de etapas biológicas. O tempo em que se consegue a ósteo-integração pode variar dependendo de alguns fatores. Na mandíbula (maxilar inferior) cerca de 4 meses e na maxila (maxilar superior), cerca de 6 meses.

Neste período, os implantes permanecem sepultos (dentro do osso), protegidos de cargas ou movimentações e serão ativados, quando a ósteo-integração se completar.

Neste período, em que é esperada a ósteo-integração, podemos utilizar uma prótese provisória, que não estará fazendo apoio aos implantes.

Apenas em 2 situações: em pacientes com determinados problemas de saúde de ordem geral e quando não houver espessura e altura ósseas suficientes para acomodar os implantes.
Não existe limite de idade: a partir da puberdade, qualquer pessoa pode receber implantes.
Sim. Dever ficar muito bem claro que esses procedimentos são relativamente novos, não suficientemente testados e só devem ser empregados em casos absolutamente necessários, com total conhecimento de todos os riscos e custos pelo do paciente.

Normalmente, entre 60 a 90 minutos. Somente em casos excepcionais esse tempo é dilatado.

Mínimos. A cirurgia é feita normalmente com anestesia local e é muito mais simples que outros procedimentos cirúrgicos odontológicos, como a extração de um dente incluso, por exemplo. O pós-operatório é muito bom e a maioria dos pacientes não relata qualquer incômodo maior.

Para os casos de próteses totais, elas são colocadas 3 ou 4 dias após a cirurgia e, em casos de próteses parciais, muitas vezes, não fica nenhum dia sem a prótese. Quase sempre são próteses provisórias, sendo substituídas depois de alguns poucos meses pelas definitivas.

A exemplo das próteses fixadas sobre os dentes, as fixadas sobre os implantes têm como maior vantagem não se soltarem durante a mastigação, propiciando maior conforto, segurança e eficiência.

Expectativa demasiada é comum que, normalmente, é sucedida de uma certa parcela de frustração. Em muitos casos, a solução estética é apenas aceitável. Todas as próteses fixadas ou não sobre os implantes não são como os dentes naturais. O melhor é pensar nas vantagens funcionais.

Pode-se afirmar que 95% dos casos, se os implantes não forem perdidos nos dois primeiros anos de uso, durarão toda a vida. Estudos demonstram que implantes de boa procedência apresentam sucesso acima de 90% no maxilar superior e, 97% ,no inferior.

De vários fatores, mas o principal é a observância do protocolo (receita completa de como e quando se faz o implante). É necessário que o profissional seja meticuloso e treinado na técnica.

O preço está em visível queda. Adiar a colocação do implante, por razões financeiras, é melhor do que colocar um sistema mais barato.

Rolar para cima