Atendimento:  (21) 2236-4422   /   (21) 2547-3079

HÁBITOS BUCAIS

O hábito é a repetição de um ato (por exemplo, sucção de chupeta), com uma determinada finalidade (por exemplo, carência afetiva). Alguns hábitos, com o decorrer do tempo, podem-se tornar indesejáveis. Dentre eles, podemos citar o uso da mamadeira e da chupeta e a sucção do dedo.

Algumas crianças não fazem a sucção devida na amamentação, sentindo necessidade de complementação com a sucção da chupeta ou do dedo.

A sucção de dedo, chupeta ou mamadeira é um fator que pode interferir no desenvolvimento da criança, podendo levar a alterações bucais, tais como: mordida aberta, mordida cruzada, inclinação dos dentes, diastemas (dentes afastados, com espaços entre um e outro), alterações no padrão de deglutição (forma de engolir) etc.

O hábito precisa de certa intensidade e freqüência ao longo do tempo para promover alterações.

A criança com até 2 anos de idade encontra-se na fase oral, em que a satisfação é centrada na cavidade bucal.

Portanto, a sucção é muito importante. Em algumas crianças essa necessidade é maior.

O importante é não deixar o hábito se tomar um vício. Esses hábitos devem ser removidos o quanto antes, e de forma gradativa, para que não se altere o equilíbrio psicológico e físico da criança.

Devemos evitar a instalação do hábito de sucção de dedo, pois a sua remoção é mais difícil, já que o dedo está sempre à disposição.

Muitas vezes, é necessário o auxilio do psicólogo, pois o componente emocional é maior.

O odontopediatra orientará o que for melhor para cada caso, podendo encaminhar para outros profissionais, como o fonoaudiólogo e o psicólogo.
Quando o hábito é removido aos 3 ou 4 anos de idade, alterações como a mordida aberta podem-se auto corrigir, sem necessidade do uso de aparelhos ortodônticos.

O profissional tem um papel importante na orientação e remoção desses hábitos. Ele ajuda os pais, orientando sobre qual a melhor conduta e maneira de conversar com a criança, evitando a chantagem, a punição e a repressão. O profissional motivará a criança com modelos, fotos, pastas de motivação, histórias etc.

Sempre que possível, devemos conversar com a criança, explicando o porquê da remoção, fazendo reforços positivos, motivando com muito amor e compreensão. Deve-se usar muita criatividade, procurando distrair a criança.

Podemos ir diluindo, com água, o leite da mamadeira, deixando-a menos saborosa, até que fique só água. Motivar a criança a usar copo com bico especial, com desenhos etc.

A criança pode estar utilizando o bico da mamadeira só para succionar, sem ter a necessidade de ingerir o leite.

Desde o nascimento, a criança não deve ser acostumada a ficar o tempo todo com a chupeta na boca. Ela deve ser dada apenas em momentos de tensão. Dessa forma, ela não ficará viciada no seu uso.

Nunca oferecer mais de uma chupeta por vez e não a deixar pendurada na roupa da criança, evitando que fique sempre à sua disposição.

Quando o bebê adormecer, remover a chupeta da boca. Com esses cuidados, naturalmente a criança deixará de necessitar da chupeta.

Caso já existam alterações bucais, deve-se procurar o profissional, e o hábito deve ser removido o quanto antes, sempre se respeitando a individualidade da criança, procurando mostrar-lhe o problema causado e incentivando-a a largar a chupeta.

Rolar para cima