BRAQUETES AUTOLIGÁVEIS

A ferramenta de ortodontia fixa é composta por 3 componentes:

  • Bráquetes (podem ser metálicos ou estéticos) que são dispositivos colados à superfície dos dentes com uma resina composta;
  • Fios ou arcos ortodônticos (compostos diversos de tipos de ligas metálicas que favorecem a movimentação desejada) que se encaixam nas canaletas dos bráquetes;
  • Ligaduras (elásticas ou metálicas) que prendem os fios dentro das canaletas dos bráquetes.

Os bráquetes autoligáveis se diferenciam por não precisarem de um sistema de ligaduras para se fixar no fio ortodôntico. Neste caso, os próprios bráquetes possuem um sistema de clips que prendem os fios nas canaletas.

O diferencial mais significativo dos bráquetes autoligáveis em relação aos modelos convencionais é a ausência de ligadura elástica, proporcionando uma diminuição do atrito do fio durante algumas etapas do tratamento. Como o atrito é menor, os dentes se movimentam com mais liberdade, gerando menos desconforto aos pacientes e uma maior eficiência de movimentação.

Já que não há ligaduras, o acúmulo de resíduos alimentares também é menor, tornando a limpeza mais fácil. Essa modalidade também permite aos ortodontistas a possibilidade de ver os pacientes em intervalos maiores, dependendo da fase do tratamento - o que é interessante para pacientes, por exemplo, com dificuldades de deslocamento ou agendas intensas.

O sistema de bráquetes autoligáveis pode ser utilizado em todos os tratamentos ortodônticos. Contudo, é altamente recomendável em tratamentos que tenham como objetivo o fechamento de espaços; uma vez reduz o atrito e favorece o deslize dos dentes. Principalmente, em casos de diastemas (dentes separados) ou se houver necessidade de extrações dentárias para o alinhamento e nivelamento. O tempo de tratamento com esse tipo de dispositivo pode ser reduzido em até 30%.