ODONTOLOGIA PARA BEBÊS, PRÉ NATAL E GESTACIONAL

Os cuidados com dentes devem começar desde cedo, antes mesmo do nascimento. Eles fazem parte do trabalho da odontologia pré-natal e gestacional. As denominações se referem basicamente à mesma coisa, sendo que a odontologia gestacional tem por objetivo os cuidados com a gestante.

O período ideal e seguro para os cuidados odontológicos com a mãe é o segundo trimestre de gravidez. Já a odontologia pré-natal reúne as orientações de grande relevância para a mãe e a família que vai receber um bebê. O período mais recomendado para passar as orientações sobre como a gestante vai cuidar do seu filho é bem perto da criança nascer, mais precisamente no terceiro trimestre, quando a mulher grávida está mais motivada a receber novas informações.

As orientações vão além de cuidados com os dentes do bebê, incluem informações sobre alimentação adequada e anomalias que podem ocorrer na região oral antes mesmo do bebê ter dentes.

Quando começar os cuidados orais com o bebê

Em relação à odontologia, os cuidados com o bebê devem começar quando ele começa a ter dentes, isso ocorre por volta dos seis meses de idade. Toda criança deve ir ao odontopediatra pelo menos uma vez no primeiro ano de vida. Mesmo que ainda não tenha dentes. Na verdade, o cuidado com o bebê começa antes, com a mãe, com as orientações acerca de amamentação e alimentação, ainda no período gestacional.

O pré-natal odontológico é basicamente isso, oferece a possibilidade de estreitar um contato com as mães, assim como fazem os pediatras. Nesse encontro, a mãe conhece a forma de trabalho do profissional e recebe as orientações iniciais para não ser pega de surpresa. A ideia do pré-natal odontológico é restabelecer a saúde bucal da mãe e orientá-la para saber como lidar com o que vem pela frente.

Um dos objetivos da odontologia para bebês é identificar e diagnosticar problemas como a anquiloglossia, popularmente chamada de “língua presa”, que ocorre quando a membrana abaixo da língua, o frênulo (comumente chamado de freio), é menor do que o normal.  Uma boa orientação sobre a fase de amamentação junto ao odontopediatra observando a cavidade bucal pode evitar, inclusive, um procedimento cirúrgico desnecessário.

A importância do tratamento preventivo para bebês

A cárie é uma doença comportamental diretamente relacionada com a alimentação e higiene. Quando a mãe recebe as orientações bem no começo da formação desses dentes (ou antes), ela consegue manter a saúde bucal do filho controlada, sem a presença de doenças, dessa forma, a criança ou o adulto terá dentição mais saudável. Com essa aproximação, o especialista também acompanha o crescimento dos ossos da face. Além disso, a mãe se sente menos vulnerável em uma situação de emergência, por exemplo, se a criança cai ou bate com os dentes, o que é bem comum. Caso isso aconteça a família já tem um profissional de confiança, isso facilita muito o atendimento.

O papel dos pais é fundamental na prevenção da saúde bucal. A odontopediatria, na verdade, é diferente da odontologia para adultos, porque ela não trabalha só com o paciente, ela trabalha com a família, formando o triângulo da odontopediatria. A criança é o “ator” principal, mas o sucesso só é alcançado quando existe um bom trabalho junto à família.

O bebê sem dentes e o cuidado oral após o início da dentição