TRATAMENTO CIRÚRGICO DA DMT

A DTM é a disfunção temporomandibular, um conjunto de problemas que podem afetar a articulação temporomandibular (junção da mandíbula com o crânio) ou a musculatura mastigatória envolvida. Algumas vezes, esses distúrbios afetam mais a musculatura e outras vezes afetam mais a articulação. Na maioria dos casos (98%), o tratamento não será cirúrgico e sim clínico. Quando o problema só envolve a musculatura, normalmente é tratado por fisioterapia, placas que relaxam a musculatura, e por medicação para alívio das crises.

O que é a cirurgia da DTM?

Os procedimentos cirúrgicos para tratamento da DTM são indicados em apenas 2% dos casos, especificamente quando ocorrem desarranjos internos da articulação. 

Os procedimentos cirúrgicos que envolvem a articulação podem ser dois: artroscopia (procedimento por vídeo) e cirurgia aberta. 

Na maioria das vezes, esses dois procedimentos são indicados quando existe um deslocamento do disco articular - que é o resultado de uma carga articular aumentada associada a pacientes que apresentam hábitos anormais tais como: apertamento dentário ou bruxismo.

Algumas vezes, esse estalo não é um grande problema, sendo apenas temporário. Outras vezes, o estalo pode evoluir e gerar dores nas articulações ou o paciente pode sofrer alguns episódios de travamento; onde ele não consegue abrir a boca direito. Quando esses sintomas começam a se agravar e o paciente passa a sentir dor; estalos auditivos causando problemas sociais ou psicológicos; interferência na abertura da boca como desvio e limitações, deve-se procurar um especialista e só então pode ser indicado um procedimento cirúrgico.

Artroscopia

É um procedimento realizado por vídeo, menos invasivo, que não apresenta incisão. Normalmente só tem dois orifícios: um de entrada por onde o especialista passa uma câmera e um outro orifício pelo qual são inseridos uma cânula e alguns instrumentos. 

Esse procedimento tem ganho popularidade por ser pouco invasivo, bem sucedido e não causar problemas. Na maioria das vezes que esse procedimento por vídeo é realizado, há uma boa melhora na abertura de boca, na sintomatologia etc.  

Basicamente, na artroscopia o procedimento a ser realizado é bem simples, onde chega-se no espaço articular e por uma dessas cânulas inseridas é feita uma lavagem da articulação, o que elimina mediadores inflamatórios que se acumulam na articulação durante tempos e que causam dor. Além dos mediadores, a lavagem remove possíveis aderências. 

O disco articular, também chamado de menisco, pode estar deslocado em uma posição errada. Se ele já está assim durante um bom tempo, possivelmente já formou aderências que impedem que ele retorne para a posição original. Nesse caso, a artroscopia pode ajudar no processo de eliminação das aderências, juntamente com outros tratamentos para alívio da carga na articulação, e assim recuperar naturalmente o disco.

Cirurgia Aberta

Também chamada de “clicatura de disco” é feita a partir de uma pequena incisão próxima a orelha, em uma região chama tragus, deixando uma cicatriz mínima, praticamente invisível. O especializa pega o disco articular e o coloca na posição de volta e usa uma âncora para mantê-lo nessa posição. 

Há casos em que o especialista acredita que não haverá melhora com a artroscopia pura, e recomendada a cirurgia aberta. Geralmente em situações mais graves, crônicas, que existam há mais tempo, onde é preferível uma cirurgia aberta que também é indicada para outras situações, como em casos de anquilose mandibular (fusão óssea da mandíbula com o crânio). Em casos como esse é realizada uma artroplastia; onde essa fusão é solta e um tecido é interposto para formar uma nova articulação.

Existe também a cirurgia para luxações de ATM. Quando a mandíbula abre muito e o paciente não consegue fechar, em alguns casos isso é frequente. Para evitar que o paciente tenha que ir sempre em uma emergência médica para colocar a mandíbula na posição toda vez que isso ocorre, pode ser feita uma cirurgia para resolver definitivamente o problema.

Contraindicações

Os procedimentos cirúrgicos não são recomendados para pacientes com problemas musculares. A grande maioria dos pacientes que apresenta disfunções temporomandibulares têm problemas musculares e não articulares.

Como é realizada a artroscopia

São colocadas duas cânulas (tubos plásticos). Em uma vai uma câmera que é por onde o especialista se certifica que está no espaço articular. Pelo outro orifício é feita uma lavagem à base de soro fisiológico para eliminar agentes inflamatórios e aderências que podem estar dificultando a volta do disco à posição normal.

Cuidados antes do procedimento

  • Ter certeza que o paciente vai aderir ao tratamento e ter certeza que a origem do problema será efetivamente tratada;

  • Antes do procedimento são realizados exames de imagem (ressonância nuclear magnética) para ter a precisa posição do disco. O exame também serve para comparações de antes e depois.

Recuperação e cuidados após artroscopia

A artroscopia proporciona uma recuperação muito boa. No máximo pode haver um inchaço que rapidamente é controlado. São apenas dois pequenos pontos de sutura. O paciente fará temporariamente uma dieta pastosa e deve fazer fisioterapia para que tenha de volta a amplitude de boca antes do problema acontecer.